A expansão da inteligência artificial na floresta

A expansão da inteligência artificial na floresta

A silvicultura é uma atividade econômica expressiva no Brasil, e a realidade dos silvicultores tem sido modificada diariamente com a inserção da tecnologia no campo, elevando os patamares de produtividade e de competitividade a níveis nunca atingidos anteriormente.  

Se os resultados atuais já são surpreendentes, o que esperar com o avanço da Inteligência Artificial na floresta?

A Inteligência Artificial hoje

O dia a dia do silvicultor foi moldado pela expansão da Floresta 4.0, mas as novas propostas proporcionadas pela IA (Inteligência Artificial) vão muito além do que está sendo utilizado atualmente. 

A inovação trazida pela IA  objetiva expandir a capacidade de coleta e interpretação de dados de forma a correlacionar variáveis que influem diretamente na produtividade e nos resultados obtidos, mas que, até o momento, são tratadas como independentes e têm gerado interpretações parciais e com resultados inferiores aos que poderiam ser obtidos.

A elaboração de inventários florestais, por exemplo, é uma das atividades que já utiliza dos recursos da IA para obter resultados melhores em menor intervalo de tempo. 

Com o uso de tecnologias como o sensor LIDAR (Light Detection And Ranging – na sigla em inglês), RNA (Redes Neurais Artificiais) e processamento de imagens, algumas empresas do mercado já têm entregado inventários completos com maior precisão em até um quinto do tempo gasto originalmente. 

Além dos inventários florestais, o uso da Inteligência Artificial e das tecnologias associadas ao “Big Data & Analytics”, têm o potencial de permitir um processamento de dados muito maior e mais rápido, com melhor qualidade da informação gerada. Isso porque, com o “Machine Learning” e a capacidade das máquinas em identificar padrões e correlações complexas em níveis detalhados, a análise das variáveis que determinam a produtividade de uma floresta é muito mais precisa, a ponto de gerar modelos e projeções de resultados muito mais fidedignos aos obtidos no campo.

O que podemos esperar das melhorias no campo com a Inteligência Artificial

O volume, a velocidade e a qualidade do processamento dos dados coletados no campo são muito superiores quando realizados com IA. Essa alteração de paradigma poderá trazer novos patamares de produtividade às florestas, que não podem ser alcançados com a utilização das práticas atuais — o próximo nível depende diretamente do aumento da eficiência da produção.

Informações mais rápidas e com mais qualidade, permitem melhor gestão dos plantios, planejamento estratégico mais efetivo, maior valoração do ativo biológico e, principalmente, maior capacidade de expansão de áreas produtivas. 

A Inteligência Artificial tem grande potencial de identificar gargalos que passaram despercebidos pelo olho humano, de realizar projeções com base em variáveis complexas com resultados muito próximos à realidade e, principalmente, de otimizar toda a cadeia de tomadas de decisão das empresas do setor florestal.

A aplicação da Inteligência Artificial no mercado florestal ainda é incipiente, mas já se expandiu para outras atividades do setor e tem sido utilizada no monitoramento e no combate a incêndios, identificação de pragas, caracterização de áreas produtivas, por exemplo. 

Diante dos rápidos avanços da tecnologia da Inteligência Artificial na floresta e dos recursos inovadores disponibilizados a cada dia, quais serão os próximos desafios?

2 Comentários

  1. Marcelo Miranda disse:

    Quais são as opções disponíveis para Inventário Florestal com Lidar, com o dap, altura, volume e clone?

DEIXE SEU COMENTÁRIO!